quarta-feira, dezembro 14, 2005

Não consigo escrever



A Lua ficou em suspenso
As estrelas perdidas nos seus pensamentos
O nevoeiro chegou ainda esta madrugada
É assim que me sinto
É assim que me incomodas
As palavras não saem pois rodopiam
como se o vento não as deixasse pousar
para tomarem formas desejados por mim
Não consigo escrever
O vento não me deixa
A lua não quer
Junto ao rio , meu confidente,
repouso...
Por vezes tenho medo
Por vezes estou euforica
Olho para trás e sinto um arrepio
Olho em frente e perco-me
Estou aqui, agora, presente
Por vezes viajo até ao teu sul
Mas é sempre tu que chegas cansado ao meu norte
Teimo não conseguir escrever
pois quero a Lua só pra mim
a não quero dar forma
a palavras soltas
nesta dança minha com o vento
É com reticências que fico aqui neste espaço nosso
...

Violeta


quarta-feira, novembro 30, 2005

Sinto-me assim...



Abro um olho para o nosso mundo
A terra é redonda como uma bomba
Já não tenho vontade de chorar
Já estou habituada, como uma protecção
Anos de treino forçado
fizeram-me agora assim
Ninguém me tinha dito
que era preciso se defender dia e noite
deitado a meu lado
esteve alguém que não conheço
E se eu dormisse
e numa mais acordasse?
No écran da minha vida
vejo-me morrer
Mesmo assim
abro um olho para o nosso mundo
E nesta terra redonda,
que mais parece uma bomba,
ainda acredito que talvez consiga sonhar de novo...

Violeta

Tempo sujo este do nosso Planeta


Tempo sujo este do nosso Planeta
e mais uma vez não há testemunhos
o mundo á volta é surdo
Estou caida num canto deste Planeta
escrevo um grito de angustia numa folha perdida
Tempo sujo este do nosso Planeta
Pedir socorro é interdito
e claro, o mundo á volta é surdo
Enquanto tu passeias por outros jardins
sangue bem vermelho
escorre na bonita flor de algodão
que eu aperto com força
Tempo sujo este do nosso Planeta
E o mundo que continua surdo

Violeta

terça-feira, novembro 29, 2005

Fecha os olhos


Fecha os olhos, pega na minha mão
deixa-me mostrar os sitios de que gosto
Pedras velhas
com anos de histórias
testemunhos de vidas
Deixa pegar na tua mão
toca...sentes o que elas te dizem?
Viram passar pessoas, vidas alegres
Sofrimentos silênciosos
Risos
Choros
Gargalhadas
Sentes o que elas te dizem?
São pedras velhas mas que falam...
Shuuut ...ouve-as
Fecha os olhos
deixa-me levar-te por caminhos
nunca por ti pisados
Quero que descubras este silêncio falado
das pedras que te vou mostrar.

( Gosto de imaginar-te de olhos fechados, de mâos dadas comigo, nestas descobertas... )

( Gosto de imaginar tu e eu....)


( E tu de que gostas ? )

Violeta


terça-feira, novembro 22, 2005

Nosso abraço..


Olho nesses teus olhos
brilhos de desejos
Esse sorriso que me pergunta :-" posso?"
Tua mão que se aproxima
dedos delicados envolvendo minha cintura
Melodia no ar
Notas soltas
Fecho os olhos e respiro teu perfume
Em bico dos pés
te envolvo o pescoço com meus braços
como se o mundo fosses tu
Pele que se toca
Dedos que se sentem
Minha boca junto ao teu ouvido
que sussurra :-" senti tua falta"
Sinto teus braços que me apertam
Nada mais existe
neste abraço
que ainda não é nosso..

Já sinto tua ausência !

Violeta

O Búzio...


" Quem tem um búzio, tem o mar.

...Encostou o ouvido na concha e adormeceu enquanto a si mesmo se embalava. E já não era pessoa. Era um barco volteando por esse mar que ele nunca visitara e de que sempre falava :-" Ah esse mar, eu nunca lá estive mas já lá muito me perdi"

( Chuva Pasmada de Mia Couto )

Violeta


Conversa de SMS


Rui: "...Da camioneta avistei o rio e um verde lindo. Pensei como seria bom estar aqui ctg a ver e a apreciar a imensidão.Bjo"

Violeta: " Então fecha os olhos um curto instante, respira fundo e pensa na nossa primeira troca de olhares ao pé do pilar...sorri...sempre de olhos fechados...depois abre olha lá para fora e descreve como vez o mundo. Fico á espera"

Rui: " Lindo. recordei o teu olhar, o teu sorriso nervoso, as tuas mãos...e depois olhei a rua e vi uma vinha que já tinha dado fruto mas embelezava a luz do sol com uma cor castanha e tive vontade de ficar ali...Eu e Tu "

Violeta: " Então guarda isso em ti. São esses nadas que enchem o rio da nossa vida tornando as dificuldades simples mesmo que se aparentam dificeis de resolver"

Rui: " É linda a forma como lês o formato das coisas e da vida...agora importa saber navegar nessa tranquilidade. Ensinas-me?

Violeta: " Mas não és tu que me estás a ensinar a partilhar? Ao partilhar estou mostrando como olho a natureza por isso estamos oferecendo um ao outro o que somos e como somos"

Rui: " Por isso é que te peço que me ensines. Por tendência todos nos despercebemos o que somos e como somos importantes. Mostra-me isso..."

Violeta: " Vou-te mostrar então o mundo através de um búzio...Guarda esse olhar..."

( Conversa de SMS ontem dia 21 no final do dia)

Violeta


segunda-feira, novembro 21, 2005

Meu caminho...



Assim continuo meu caminho
Dançando
Saltando
Rindo
saindo de mansinho
de uma vida de tempos idos
para uma nova
Interrogando-me
sobre o que penso ( de ti?)
Sonhos desconhecidos
Medos antigos
Desejos novos
Nada é precisamente o mesmo
Mas tudo está igual
Dançando
Saltando
Rindo
É assim que continuo meu caminho

Violeta

sexta-feira, novembro 18, 2005

Poderia...

Poderia te falar para onde viaja minha alma
Ou dos veleiros no meio do céu laranja
Dos oceanos de veludo e ventos eternos
Poderia te mostrar como mergulhar em águas brancas
Como percorrer palácios de corais
Poderia te mostrar
que é para aqui que vou sonhar
quando a vida me faz mal
São estes os instantes de vida que eu respiro
Poderia te falar...
Poderia te mostrar...
Poderia...

Violeta

Teu olhar...



O teu primeiro olhar
aquele da alma que não mente
O teu primeiro olhar
aquele que guardo na memória
O teu primeiro olhar
que abre e fecha a passagem
O teu primeiro olhar
que disse o final da minha viagem
O teu primeiro olhar
que quando o voltar a cruzar não será como antes
O teu primeiro olhar
que me seduzio
tanto neste primeiro olhar, trocado na estação junto ao pilar


Agora quero acreditar
que no final do caminho tu me esperas verdadeiramente
sem frases poéticas, resoluções ou promessas
Só tu com teu primeiro olhar
pousado em mim mulher

Violeta



Memórias do meu livro branco



Olho para ti,
folha branca...
Intima amiga
dos meus pensamentos
Em ti me envolvo
Te seduzo
És meu tudo
És nada
És momento
Olho para ti,
folha branca...
Sobre ti dançam ansias
presentes
passados
És tudo
És meus nada
Olho para ti,
folha branca
que branca já foste
Pois agora és Poema...
Violeta

quinta-feira, novembro 17, 2005

A fúria do Mar



Mar agitado, num reboliço de vai e vem
em ondas zangadas
que espalham sua raiva
nas areias finas caladas
( Inertes)
Elas que anseiam a calma
num desejo que a palavra normal
se torne presente
A lua como testemunho
as estrelas como cumplices
participam em silêncio à fúria do mar...
Caminho solitária
nestas areias molhadas
Olhando o mar que não me quer
E as ondas que não me gostam
Violeta

Gostaria

Gostaria que me conhecesses
Que abrisses um pouco a janela
do meu coração e da minha alma
tudo o que eu tento proibir

Gostaria de te saber
alguns instantes e mais tarde
que ficaste com o meu sabor
para que não me esqueças

Gostaria de deslizar
na tua alma e te guiar
para te encontrar o caminho
da minha pele, das minha mãos
Onde me escondo?
Em que mundo esquecido?
Diz-me onde me procurar
O que me afasta?
Diz-me que voltas...
Gostaria tentar te conhecer
melhor que tu próprio, talvez
Te mostrar partes minhas
que não conheces
te mostrar na evidência
o sentido unico aos teus pés
para que eles te levem a mim
Mas...
Mesmo nos meus silêncios
nas batalhas que te parecem vencidas
esquece as correntes invisiveis e enormes
que te reteêm longe de mim
Gostaria que tentasses
e não desistisses
Deste gosto que já gosto de sentir por ti...
Violeta